img-curso-serv-social

CURSO DE BACHARELADO EM SERVIÇO SOCIAL

Coordenador: Maria Vanderléia Ferreira Muniz Marruch

Modalidade: Presencial com Seriado Anual

Atos Legais:

Autorização – Portaria MEC n° 3670, de 17/10/2005, publicada em 20/10/2005.

Reconhecimento – Portaria SERES/MEC n° 135 de 01.03.2018, publicada no DOU de 02.03.2018.

Carga Horária: 3.305 horas.

Tempo de Integralização: Mínimo de 04 anos e Máximo de 07 anos.

Turno: Diurno e Noturno.

Módulo: 200 dias letivos por ano

Número de vagas anuais: 120

Dimensão das turmas: Média de 30 alunos

Objetivo do Curso:

O objetivo do Curso de Serviço Social da FAAO é ampliar de forma significativa a oferta de profissionais do Serviço Social na região amazônica, buscando de forma equilibrada adequar às demandas sociais e os processos de descentralização das atuais políticas sociais a um número cada vez maior de atores comprometidos com o processo de desenvolvimento regional.

Nesta perspectiva, o Curso foi concebido a partir do entendimento das tendências do mercado de trabalho que constitui um dos indicadores mais importantes da profissão do Assistente Social. Foi desenhado no sentido de poder assumir as demandas do interior da divisão sociotécnica do trabalho.

O Assistente Social formado pela FAAO deverá estar atento às expressões das tendências dominantes no processo de acumulação capitalista e as respostas à questão social em todos os âmbitos das políticas governamentais que impulsionam e articulam-se com programas empreendidos pelos setores estatal e privado e pelas ONGs (Organizações Não- Governamentais).

Na atualidade, ainda, o poder público se constitui no maior empregador dos assistentes sociais, ainda que esta tendência seja passível de alteração nas próximas décadas. Há uma tendência à interiorização do campo de trabalho que corre na esteira da operacionalização dos princípios legais de descentralização e municipalização das políticas sociais.

A Questão Social é o objeto específico, a matéria prima da atuação dos assistentes sociais e, portanto, o eixo da formação profissional. Desta maneira, os profissionais de Serviço Social, ao atuarem no âmbito da Faculdade ou em instituições, têm um papel especial na discussão da relevância social do ensino, da pesquisa e da extensão.

O Projeto Pedagógico do Curso de Serviço Social da FAAO foi desenvolvido de forma a atender as exigências legais previstas na legislação pertinente, tendo por base as Diretrizes Curriculares para os Cursos de Serviço Social, Resolução CNE/RES 15, de 13 de março de 2002. Levou-se em consideração, ainda, a legislação que regulamenta o exercício da profissão de Serviço Social, a Lei n° 8.662/93 de 07 de junho de 1993, que dispõe sobre a profissão de assistente social, bem as orientações contidas nas diretrizes básicas da ABEPSS (Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social).

O Curso de graduação em Serviço Social encontra sua consolidação no movimento da história, mais precisamente, no esforço humano em produzir respostas ao conjunto de problemas que o processo social engendra.

Desta maneira, faz-se necessária uma referência ao contexto sócio- histórico global, terreno no qual se reproduzem a questão social e a profissão dos assistentes sociais.

As décadas de 80 e 90 foram marcadas pelo aprofundamento dos impasses sócio-políticos gestados na crise do capitalismo industrial da década de 70. Os dois aspectos centrais desta crise são: a alteração das relações de trabalho, e a crise de um modelo de Estado voltado para o Bem Estar Social.

O Serviço Social no Brasil entra na década de 80 renovado, pois o Movimento de Reconceituação (anos 60-70) introduziu, no corpo profissional, o questionamento de aspectos determinantes para o Serviço Social, como: a ideia de neutralidade, o tratamento do usuário como objeto não como sujeito de sua própria história – assistencialismo -, a condição de subalternidade executiva dos profissionais nas instituições. A reflexão sobre o significado social da profissão na divisão sociotécnica do trabalho – de sua base de legitimidade – e a afirmação da indissociabilidade, na prática profissional dos assistentes sociais, das dimensões técnica, política e ética, são elementos fundamentais para se pensar o fazer e a forma.

A década de 90 e início do século XXI marcam a fragmentação e o aprofundamento da crise de controle social, fazendo com que ocorra um redimensionamento das instituições para atender e contemplar a carência de proposições para o enfrentamento da questão social, que se diversifica na medida em que as relações sociais se tornam cada vez mais heterogéneas e fragmentadas. Diante da complexidade das relações sociais no momento atual, torna-se de fundamental importância a participação do profissional do Serviço Social, visto não mais como um mediador e gerenciador de problemas sociais, mas como um profissional que atua nas expressões das questões sociais, formulando e implementando propostas para seu enfrentamento.

Assim, a FAAO pretende dar continuidade à sua ação educacional mantendo os princípios de seriedade e comprometimento com os valores regionais que caracterizam sua prática educacional, associados à busca sempre constante da melhoria da qualidade do ensino que ministra.

Perfil do Profissional:

O perfil do egresso do curso de Serviço Social da FAAO deverá ser aquele com a formação ético-político, e que, compreenda o significado social da sua prática, com conhecimento crítico e postura investigativa.

O curso deverá contribuir para a formação de profissionais que estejam em condições de desenvolver atividades de pesquisa, estando em constante busca de aperfeiçoamento de forma a atuar com interdisciplinaridade com vista às exigências do mercado de trabalho.

A capacidade de relacionar aspectos específicos do cotidiano de seu fazer com realidades mais complexas, que é básica para a formação de um profissional crítico e propositivo, é compreendida, neste projeto pedagógico, como um exercício que perpassa os quatro anos do curso de Serviço Social. O profissional que se quer formar em Serviço Social pela FAAO é aquele que procura enfrentar, com competência técnica, as contradições que marcam tanto a Questão Social, quanto as respostas socialmente produzidas a suas expressões.

Pretende-se, pois, formação de um profissional crítico, empreendedor, assertivo, flexível, atento à dinâmica das relações sociais, com visão interdisciplinar e habilidade para o trabalho multiprofissional e que tenha uma perspectiva estratégica nos mais diversos âmbitos de sua atuação. Esta perspectiva estratégica é que deve permitir ao profissional expandir seu campo de atuação, criando novas demandas no esforço de acesso a direitos sociais universais.

O egresso a ser formado deve possuir as seguintes características:

  • Capacidade técnico-política, para a formulação, gestão e avaliação de serviços sociais na esfera estatal e privada, empresarial ou não;

  • Capacidade teórico-metodológica que permita uma apreensão crítica do processo histórico como totalidade, o que implica compreendê-lo principalmente em seu movimento dinâmico e contraditório;

  • Capacidade investigativa para desvendar as particularidades da formação histórica da sociedade brasileira como base para explicação do Serviço Social e das demandas à sua intervenção;

  • Capacidade teórico-metodológica articulada à técnico-operativa para tratar o campo das mediações a fim de transitar de níveis mais abstratos para as singularidades do exercício profissional;

  • Capacidade ético-política que consolide os valores e princípios legitimados no atual código de ética profissional e possibilite apreender a dimensão teleológica do exercício profissional;

  • Capacidade para apreender as demandas – tradicionais e emergentes – postas no mercado de trabalho e formular respostas, estratégias, táticas e instrumentos que potencializem as tendências de enfrentamento da questão social aí presentes.

  1. Matriz Curricular

1ª SÉRIE

Componentes Curriculares

C/H.

ANUAL

C/H

SEMANAL

Antropologia

72 h/a

2

Ciência Política

72 h/a

2

Economia Política

72 h/a

2

Fundamentos Históricos e Teórico-metodológicos do Serviço Social – I

144 h/a

4

Formação Sócio-histórica do Brasil

72 h/a

2

Leitura e Produção de Textos

72 h/a

2

Psicologia Social

72 h/a

2

Sociologia

72 h/a

2

Metodologia Científica

72 h/a

2

Total 1º SÉRIE

720

20

2ª SÉRIE

Componentes Curriculares

C/H.

ANUAL

C/H

SEMANAL

Acumulação Capitalista e Desigualdade Social

72 h/a

2

Administração e Planejamento em Serviço Social

72 h/a

2

Direito e Legislação social

72 h/a

2

Estatística em Serviço Social

72 h/a

2

Fundamentos Histórico-Teórico-Metodológico do Serviço Social II

144 h/a

4

Introdução ao Pensamento Filosófico

72 h/a

2

Pesquisa em Serviço Social I

72 h/a

2

Política Social I

72 h/a

2

Trabalho e Sociabilidade

72 h/a

2

Total 2º SÉRIE

720

20

3ª SÉRIE

Componentes Curriculares

C/H.

ANUAL

C/H

SEMANAL

Estágio Supervisionado I 117 h em campo

2

Ética em Serviço Social

72 h/a

2

LIBRAS

72 h/a

2

Oficinas de instrumentalidade

72 h/a

2

Orientação de Estágio I 72 h/a

2

Pesquisa em Serviço Social II 72 h/a

2

Política Social II 72 h/a

2

Processos de Trabalho e Serviço Social 72 h/a

2

Seminário Temático 72 h/a

2

Tópicos Especiais em Serviço Social I 72 h/a

2

Total 3º SÉRIE

720

20

4ª SÉRIE

Componentes Curriculares

C/H.

ANUAL

C/H

SEMANAL

Atividades Complementares – 200 h 72 h/a

2

Estágio Supervisionado II – 288 h em campo 72 h/a

2

Gestão em Serviço Social – 72/h 72 h/a

2

Interação Humano-Computador – IHC 72/h 72 h/a

2

Orientação de Estágio II – 72 h/a 72 h/a

2

Orientação de TCC – 108 h/a ** 72 h/a

2

Questão Social e Movimento Social na Amazônia – 144/ h 72 h/a

2

Trabalho de Conclusão de Curso – 72 h/a 72 h/a

2

Tópicos Especiais em Serviço Social II– 72h/a 72 h/a

2

Atividades Complementares – 200 h

Total 4º SÉRIE

720

20

Carga Horária do Curso

3.105

Atividades Complementares

200

CARGA HORÁRIA TOTAL

3.305

Avaliação:

A avaliação ocorre com provas objetivas, subjetivas, trabalhos em grupos (seminários), participação ativa nas aulas e frequências e estágio curricular.

As avaliações são divididas em quatro NPC’s, onde a primeira e a terceira ocorrem com o método tradicional de provas e a segunda e quarta são provas unificadas, provão.

Critérios para aprovação:

De acordo com o capítulo V do Regimento Interno da FAAO, o discente será aprovado se:

  1. Obtiver o mínimo de 32 pontos no somatório das 4 primeiras avaliações ou obtiver média mínima de 5 pontos nas cinco avaliações anuais.

  2. Só estará habilitado para realizar a prova final aquele que conseguir pontuação, no somatório das quatro primeiras avaliações, maior ou igual a 20 pontos e menor que 32 pontos.

Estará automaticamente reprovado, aquele que apresentar uma ou duas das situações abaixo:

  1. Obter menos de 20 pontos no somatório das quatro primeiras avaliações;

  2. Obter mais de 25% de faltas, não justificáveis legalmente, o que equivalem a mais de 9 encontros anuais ou mais de 18 horas aulas.

Segunda Chamada:

A segunda chamada só ocorrerá para aqueles que faltarem a prova e apresentarem à secretaria documento de solicitação devidamente justificado.

Exame Final: o aluno que não atingir 32 pontos na somatória das quatro notas, fará exame final.